top of page

Padre Júlio Maria

Padre Júlio Maria de Lombaerde nasceu em Waregem, Bélgica, aos 8 de janeiro de 1878. José de Lombaerde e Sidônia Steelant foram os seus pais. Seu nome de Batismo: Júlio Emílio.

 

Ainda bem jovem, quando participava de uma Celebração da Eucaristia, presidida por um bispo missionário, ao ouvir a homilia, sentiu-se fortemente atraído pela vida missionária.

 

Antes de concluir seus estudos, foi admitido à Sociedade dos Missionários Brancos, onde recebeu o nome de “Irmão Optato Maria”. Como “Irmão Branco”, partiu para a Argélia, África. Permaneceu neste campo de missão cinco anos da sua juventude.

 

Voltando à Europa e, sentindo-se chamado ao sacerdócio, entrou para a Congregação dos Missionários da Sagrada Família, fundada pelo Padre Berthier, em Grave, Holanda. Foi ordenado dia 13 de junho de 1908.

 

Após um tempo de intensa atividade missionária na Europa, em 1912 foi enviado ao Brasil, para a Amazônia, onde trabalhou durante 15 anos como missionário entre os índios e caboclos.

Em Macapá, Amapá, em 1916, fundou a Congregação das Filhas do Coração Imaculado de Maria. Uma Congregação que muito contribuiu na missão realizada por ele no norte do País. Esta Congregação, posteriormente, se expandiu para o Nordeste e outras regiões do Brasil.

 

Do Norte, o Padre Júlio Maria seguiu para Natal, RN. E, em 1928, para Manhumirim, MG. A obra que desenvolveu em Manhumirim, com a proteção de Deus e apesar das perseguições constantes movidas por grupos contrários à sua ação, é uma prova palpável do significado da missão ali realizada.

Estimulado por Dom Carloto Távora, primeiro Bispo de Caratinga, e a pedido dos Padres responsáveis pelas Paróquias, Padre Júlio Maria, com muita dedicação e força espiritual, percorreu grande parte daquela Diocese, pregando Missões.

 

Sob as bênçãos de Deus e de Nossa Senhora, atento às necessidades do povo e obediente a Dom Carloto, fundou em Manhumirim, duas Congregações Religiosas: Missionários de Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento, e Irmãs Sacramentinas de Nossa Senhora.

 

Estas Congregações, aos poucos, foram se expandindo para o Estado de Minas Gerais e outros Estados do Brasil, dando continuidade à missão iniciada pelo Padre Júlio Maria.

 

Padre Júlio foi um exímio teólogo, pregador admirável, escritor de renome. A sua inteligência e os seus escritos sempre foram colocados a serviço da Igreja. Usou de todos os meios possíveis para a divulgação dos valores cristãos. Seu jornal “O Lutador”, foi um dos seus grandes instrumentos de evangelização.

 

Foi um grande mestre, pai e amigo! Mestre do povo, pai dos pobres, amigo das crianças, era chamado por estas de ‘vovozinho’.

 

Retornando de uma Comunidade rural, no município de Alto Jequitibá, em dia chuvoso, a 24 de dezembro de 1944, Padre Júlio Maria sofreu um grave e trágico acidente de automóvel, que o levou à morte. O Brasil inteiro chorou a perda desse grande sacerdote.

 

No entanto, Padre Júlio Maria não morreu. Permanece vivo através de suas obras e no espírito de “Amor e Sacrifício” de seus filhos e filhas espirituais.

 

Reconhecido como santo pelas pessoas que com ele conviveram, encontra-se em processo de Beatificação.

bottom of page